Agito do local

Photobucket

Cidade do meu coração

sábado, 12 de junho de 2010

Brasil - Brasília aniversário / e Dia dos namorados

7 comentários

Ola a todos os habituais(ou não) passantes deste blog.
Hoje sendo dia dos namorados, eu, apesar de não estar namorando para variar, vou deixar uma mensagem a respeito da data, com um poema, e uma imagem.

Entretanto não quero que busquem olhar essa data com o sentido comercial. Apesar de tudo, a história de presentes, e tudo mais, se pararmos para analizar, a data em si, tem uma mesma conotação de dia das mães, das crianças, e enfim, onde o mais importante é o sentimento referente a data.
No caso do dia das mães por exemplo.
Apesar do apelo comercial, é um dia para dedicarmos maior atenção a quem nós é tão querida, que nos deu a vida, e percebermos ainda mais o quanto é importante.

No dia dos namorados, eu diria que o principal da data é nos atentarmos ao relacionamento entre os casais, no sentido de compreender melhor até onde isso se estende. Estar com alguém não é apenas andar de mãos dadas, beijar e fazer sexo, é você desejar fazer o outro feliz, e isso fazer você feliz; É dividir problemas, somar alegrias, compreender a pessoa que está ao seu lado, apreciar quem ela é em seu todo, e sentir que ela completa uma parte sua.
A data é romantica, onde o que vale é estar com quem se gosta, fazer algo especial, não pela data em si, ela é apenas uma "justificativa", mas sim por ser alguém de quem realmente gostamos.

Sendo assim, aos enamorados, um Feliz dia dos namorados e segue meu texto e imagem(detalhe que a imagem foi toda feita no paint, tempo apenas efeitos de luz adicionados pelo photoshop):

Vibrante Diamante Doado

Atente a mim pequena a quem afago a face

A ti presente intenso, gentilmente tenho a doar


Minha vibração intensa que quero lhe divulgar

Preciosidade a mim valiosa, a me fazer funcionar


Divido contigo tal fluente néctar pueril

A prometer tu a mim, por isso não me desvirtuar


Toca minha engrenagem, corra comigo

Sinta os ponteiros que nos remetem ao infinito


Nunca pare o ritmo, jogue até o olhar ofuscar

Com o adorno terno que nos vibra a alma


Deixe a mim remeter, brilho ao teu olhar

E passe o ritmo adiante até todos o íon ligar


Acendamos como tocha, e vibremos como o mar

Brilhando como diamantes a luz a abraçar


Deixando o coração livremente cantar




Bom, a segunda e derradeira parte deste blog, é a respeito de Brasil, Brasília, copa do mundo, e mais diretamente um concurso do aniversário de Brasília o qual participei, que era para criar uma poema com o tema o aniversário da capital. Bom...infelizmente eu perdi, mas deixo aqui os meus três p0emas(eram permitidos três por pessoa), e os que venceram, alem dos nomes dos felizardos.

Primeiramente, porem, vamos falor só um pouquinho de copa do mundo, Brasil, e tal.

A copa do mundo não é ruim, mas há algo esses dias de copa que tem me incomodado.
É o fato das pessoas pintarem as ruas com verde amarelo, estamparem a bandeira no capo, colarem bandeirinhas e tudo mais.
Por que?
A resposta é que, caso o Brasíl, ou melhor, um monte de profissionais pagos para jogar futebol(nada mais são que isso) em nome da nação, perderem, no dia seguinte todo mundo remove tudo isso, ninguém mais vai querre saber de usar adereços verdes e amarelos, nem nada que estava utilizando apenas para esse periodo de copa.

Ai eu deixo a pergunta: O orgulho do verde amarelo, de usar as cores da bandeira, camisa, estampar a bandeira no carro, é apenas por causa do futebol, de uma misera copa que dura cerca de um mês?
O orgulho nosso não deve se limitar a isso! Eu tenho uma bandana(acessório de colocar na cabeça) com o desenho da bandeira do Brasil, e vira e mexe eu estou usando, e gosto muito!Não tenho essa de usar bandeira com desenho de outro pais, pois sou daqui, aprecio o nosso povo, nossas culturas, nossa gente.
Independente do que certos canalhas fazem aqui na capital onde moro(sim moro aqui em Brasília), indepenente disso, eu procuro nivelar pelo que somos, pelo que batalhamos, pessoas de verdade, de honra fazem, e que nasceram nesse chão, de um povo caloroso, alegre, festivo, e cheio de esperanças e amor nosso coração, aqueles que realmente merecem ser dignos de se dizer "é brasileiro(a)".
Isso fecha o Brasil, e vamos agora aos poemas. Lembrando que o concurso foi elaborado pelo "brasilia poetica"(segue link: Concurso Brasilia 5o anos) :


Primeiro, os poemas vencedores:

Ode a Brasília

“Era um rabisco e pulsava”
Carlos Drummond

Era só um rabisco no ermo que atordoa os poetas
Um sopro ponteando o nada
ao mais concreto do lugar nenhum.
Um verso solto que de tão plano,
devia só ter a altura de um horizonte embaçado.
Desses que só os olhos desertos de utopia
são capazes de umedecer.
Pura cicatriz em nanquim, regada a lápis de cor.
Depois vieram os retoques, as curvas
arquitetadas com inspiração dos céus.
Esperamos os quase mil dias de tua gestação,
para te ver nascer poesia concreta,
além dos números, suspensa
na alvorada que toca Deus e o chão.
Abençoada pelas mãos de Drummond
Estampada nos vãos, na urbana legião de amores,
Ideologias, praças e poderes.
“Teus endereços sem alma”
fingem a igualdade que só se conhece
com o sabor do humano que te inventa.
Mimeografei o futuro na geração
que poemou farinha com iogurte.
Aprendi teus sotaques e o candango
jeito de proverbiar-te simples como o povo.
Só para cantar teu contorno nave
Só para abençoar teu corpo pássaro
que agora prepara as asas para o grande vôo
que pressente a história.

Éder Rodrigues, poeta de Belo Horizonte.

Lívido concreto

A casca dentro da casca
Sobrepuja a pus do cerrado
O líquido da ferida
Alimenta a língua dos insetos
E flamba o ar com gotas de estuário

A casca dentro da casca
Punge os olhos do concreto
Desova preto e branco, pedra cor de cinza
Sobre um sabor futurista com um grifo

As cascas dentro da casca
Adormecem com chás de concretos
A goma do fruto penetra na partitura das árvores
Para a transfiguração do arquiteto

A casca dentro do ventre
Situada no meio da entranha mitológica
Apresenta pedras expostas no cerrado
Onde respiram idéias de vida seca pelo avesso

A casca dentro do dentro ensaia canções fáusticas
Adubando o fruto da terra a palavra lambe o feltro
E as folhas arrancam forças
Para a beleza polimorfica do cerrado
Nas vésperas do amorfo

A casca dentro da boca
Mastiga a palavra Brasília
Com gosto de pedra, pedrada,
Pedrapomes, pedraria, pedrasabão,
Pedregoso, pedregulho,
Pedreira, pedreiro, pedentro

Levo a língua quando engulo Brasília
E sobressaio em sonhos de traços pomo.

Paulo Henrique Costa Longuinho


Candanga

para Paulo Bertran

Candanga, a alma leve dos cerrados,
a moça e seus cabelos, nos longes de Goiás.
Candangos nós, teus filhos de adoção.
Candangos nossos filhos,
nascidos do teu chão.

A mão que te acenou de tão distante
foi quem prometeu que te faria.
Trocou o talvez por neste instante,
e a cidade assim se fez.

Candangos Vladimir, Bertran, Oscar, Sayão.
Candangos Lúcio, Vera, Nicolas, Bulcão
Candangos Teodoro, Cássia, Renato, Catalão.

Misteriosos como os campos de cerrados
de longe, apenas troncos retorcidos
de perto, segredos revelados:

água de mina, raízes, folhas, flores
beleza pura que explode por detrás
dos detalhes escondidos na aridez
da vastidão dos campos de Goiás.

Paulo José Cunha


Seguem agora os poemas desta peça aqui(ou seja mua...ta! EU o Bersebah!)

Primor de nossa amada pátria - Soberba Brasília

Solo fértil, de gente madura e decidida.

Sonho de louvável e visionário homem


Terra tom de rubi, qual de leite e mel.

Central ápice a reger esta imensa pátria amada


Em teus rígidos pilares, energia de bravos cidadãos.

Esculpida tu a ser impressionante obra prima


De nosso adorado pais é coroa brilhante

O Concretizar de nosso desenvolver


Da bandeira nacional é cor, de força e esperança.

Brilho ao olhar de homens de sul ao norte


Metrópole formada de gente de variado tom

Valoroso em costumes e tradições de toda esta nação


O alavancar de nossa animada e festeira sociedade

Rumar deste povo a considerável expressividade


Por teu cinqüentenário nossa satisfação

Presente nosso, preservar sua importante consideração.


A comemoração tua, as honras devidas.

Terra grandiosa, mãe nossa, tu és Brasília.

O brilhar de Uma Obra Prima – Nossa Brasília

Artística Terra de temperado clima

Tal é tua ventura capital menina


Coração desta nação abençoada

És tu, de solo fértil, e valentes homens.


Inspiradora de poetas e profetas de alem mar

De grande engenharia, brotou inabalável e luminosa.


Catalisadora de cidadãos de todo lugar

A vir incrementar tua beleza, de variedade infinda

.

Decolaste assim, no alçar do sonho de todos.

Feito avião a deslizar esplendoroso aos céus


A prazo curto-te tornaste colossal prodígio

Agregada de costumes, e culturas de todo lugar

.

De teu seio formaste homens de essência preciosa

Capacitados á arte deste imenso mundo desbravar


Profunda e plena dos singelos sentimentos de todos

Brindamos a ti por tua existência, cidade dourada

.

Palmas lhe damos hoje por tua imensa conquista

Meio século de intensa existência vivida


Parabéns por tua história

Parabéns Brasília

ASAS DE GRANDIOSA NAÇÃO

MAJESTOSA BRASILIA


No desfiar de muitos anos faz se bela História

O Conto memorável de uma fascinante realização


Ao mesmo dia e mês qual se ergueu a poderosa Roma

Outro vigoroso e intenso projeto por fim toma vida


O Decolar da tão esperada capital da esperança

Cintilante arco a arremessar flecha ao terceiro milênio.


De sonhos e profecias surge em terra abençoada

No coração forte e vigoroso de uma esplendida nação


Em um ambiente de bem temperado e misto clima

Desponta um recinto de culturas diversas do sul até o norte


Glorioso espaço erguido pelo suor de decididos homens

Pelo venerável presidente Juscelino Kubitschek comandados.


Aos poucos colossal se formou a primorosa cidade menina

Qual com tão poucos anos mostrou se venturosa obra prima


Central governo a devidamente conduzir todo o país

O digno reconhecer ao povo de toda sua extensão


Assim surgia a grandiosa cidade chamada Brasília

Formadora de prodigiosos e destemidos homens.


Ao mundo causou encanto e grande admiração

Vista teu esplendoroso e incomum formar monumental


Teu cinqüentenário é orgulho desta brava gente

Assim com satisfação devida, está data, o comemorar.


Parabéns a teu cinqüentenário majestosa Brasília!


Bom...é isso ai, termino assim minha postagem, um abraço a todos, e após o BIP deixem seu recado, lembrando que o mesmo se for de mal gosto ou ofensivo será gentilemente deletado.Um grande abraço a meus companheiros de blog, Brazzzil(que ta meio sumido ultimamente), e o OCP.

*BIP